Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de 2014

O que o homeschooling fez por sua família? (3)

Continuando a série de testemunhos sobre as mudanças que a educação em casa promove nas famílias, publico hoje as palavras da minha amiga Daiane Selestrim, que além de ser uma grande amiga, é um grande exemplo de esposa, mãe e dona de casa.
Sempre eduquei meus filhos em casa. Foi uma decisão nossa como casal que eu cuidaria dos nossos filhos, e sempre me senti muito feliz por poder acompanhar o desenvolvimento deles de perto e auxiliá-los. Mas com o passar dos anos e o conhecimento dos inúmeros problemas das escolas, comecei a ficar muito aflita com o fato de que logo chegaria a idade escolar. Foi quando, como providência, conheci a educação domiciliar através de um amigo que praticava. No começo foi um misto de dúvida, medo e até alívio por ter encontrado uma possibilidade de dar uma educação de qualidade para as crianças. A partir daí comecei a pesquisar e me capacitar para este grande desafio. Realmente, a trajetória não foi fácil, mas o amor pelas crianças me fez transp…

Extras e garantia!

Pessoal, em pouco mais de 24h estarão encerradas as inscrições para a nova turma do curso "Ensine seus filhos a ler de forma eficaz".

Vocês já estão carecas de saber dos meus dois mini-cursos gratuitos destinados a quem adquirir o curso do prof. Carlos comigo. Mas o que vocês ainda não sabem são os extras que o próprio prof. Carlos oferece. Ou seja, o curso vai muito além da mera preparação para a alfabetização. Confira:

Bônus #1 Educação Musical Infantil
Bônus #2 Bilinguismo
Bônus #3 Afetividade Infantil e Harmonia Familiar
Bônus #4 Psicomotricidade Avançada
Bônus #5 Comunidade Secreta no Facebook
Bônus #6 Pesquisas Científicas e Educação Infantil
CLIQUE AQUI E ADQUIRA AGORA
====> goo.gl/9hpi0H <====
PS1: O pagamento pode ser parcelado.
PS2: Se não gostar do curso, você tem garantia de 30 dias para entrar em contato e receber o seu dinheiro de volta!

O programa é... descansar!

Faz mais de um mês que estamos em férias. Sim, esta é mais uma vantagem do ensino em casa: uma vez que você atinge os objetivos, não precisa ficar enrolando, fingindo que ensina pessoas que fingem que aprendem enquanto todos desperdiçam um tempo precioso. 
Chloe foi muito bem em português, história, latim e música. Não avançamos em literatura nem em ciências; achei melhor fazer um intervalo. Bíblia e catecismo não têm folga. Em matemática, porém, a coisa não foi tão bem quando eu esperava. Cobrimos bem as revisões da adição e da subtração, fixamos bem a multiplicação, no entanto, na hora da divisão a coisa emperrou. Tentei de um jeito, não deu. Tentei de outro, também não deu. E então percebi que mais do que a dificuldade em compreender o conteúdo, aquele esforço estava fazendo com que minha menina começasse a duvidar de sua capacidade. Sabem o que eu fiz? Parei tudo na mesma hora.
Não tenho dúvidas quanto a capacidade da Chloe, mas vi que os métodos que eu tinha à minha disposição não …

Hangout e webinário

Queridos,
Como alguns de vocês talvez já saibam, hoje à noite, às 23h acontecerá um hangout imperdível com o prof. Olavo de Carvalho e o prof. Carlos Nadalim. Se você tinha alguma dúvida sobre a competência do último, agora você terá a chance de vê-lo conversando frente a frente com o maior filósofo brasileiro da atualidade. :D
No entanto, se hoje à noite a coisa é meio "duelo de titãs", amanhã o papo é "na sala de casa". Sim, acontecerá amanhã à noite, às 21h, um webinário com o prof. Carlos e outros três amigos que são também professores do curso "Ensine seus filhos a ler de forma eficaz". Refiro-me aqui aos professores Luiz Faria, Ítalo Marsili e Robison Poreli. O primeiro deles é um professor doutor que entende tuuuuudo de alfabetização e de método fônico. O segundo é um psicólogo especializado em crianças e famílias. Já o terceiro é professor de música.

Mas qual o motivo da reunião? Além de proporcionar-nos - gratuitamente - uma conversa de alto nível s…

Inscrições abertas!

Chegou a hora!!!

Você quer poder alfabetizar os seus filhos com confiança, passo a passo e segundo os métodos mais eficazes disponíveis no mundo? Então este é o seu curso!


Assista ao vídeo do prof. Carlos em que ele explica TODO O CURSO. Todas as suas dúvidas, desde valores, formas de pagamento, duração, tudo está esclarecido ali.

CLIQUE AQUI para assistir.

E é importante lembrar que, ao adquirir o curso do prof. Carlos COMIGO, você ganha dois cursos meus sem custo algum: o "Ensine seus filhos a gostar de ler" e o "De volta ao lar - Um guia para esposas e mães"!

Para mais informações sobre os meus dois cursos, CLIQUE AQUI.

Não deixe essa etapa decisiva da formação do seu filho nas mãos do MEC! Faça você mesmo o melhor por sua família!

Cursos, cursos, cursos!

A partir de amanhã pela manhã, às 11h, estarão oficialmente abertas as inscrições para a nova turma do curso "Ensine seus filhos a ler de forma eficaz", do prof. Carlos Nadalim. Disponibilizarei aqui no blog e também no facebook o link para aquisição do curso. Nele você encontrará um vídeo breve em que o prof. Carlos explicará TUDO a respeito do curso: formato, duração, valor, materiais de apoio, bônus... Não se preocupe, você não ficará confuso nem perdido, estará tudo explicadinho. ;) No entanto, se você adquirir o curso do prof. Carlos por meio dos meus links (e só dos meus), levará gratuitamente dois cursos meus! Confira abaixo as descrições de ambos:

Curso #1 (Já conta com mais de 130 alunos satisfeitos!)
Ensine seus filhos a gostar de ler
Um curso elaborado de modo a complementar o curso oferecido pelo prof. Carlos: enquanto ele ensina a ler, eu ensino a transformar a nova habilidade adquirida em um hábito e em um prazer.
O curso é composto de 4 aulas, nas quais você apren…

Cinco passos para alfabetizar seu filho em casa! (3)

Acaba de ir ao ar o último vídeo da série gratuita do prof. Carlos Nadalim sobre alfabetização em casa! Trata-se de um vídeo de respostas às dúvidas que surgiram a partir dos vídeos anteriores. Ou seja, se você aplicou os exercícios sugeridos e ficou com alguma dúvida, assista, pois ela pode pode ter sido respondida aqui. Por outro lado, se você ainda não viu os outros dois vídeos, deixo os links aqui e aqui.

Agora, um aviso importante: Não deixe para assistir depois a esta série, pois ela estará disponível POR TEMPO LIMITADO.

CLIQUE AQUI e assista agora ao terceiro vídeo. ;)





Cinco passos para alfabetizar seu filho em casa! (2)

Queridos, continuando a série de vídeos gratuita do prof. Carlos, eis aqui a segunda parte! CLIQUE AQUI e assista agora mesmo! Para quem não viu a primeira parte, basta descer dois posts. ;) O vídeo está logo aqui embaixo. Assim como a primeira parte, novamente está disponível um pdf com os exercícios! Aproveitem!

O que o homeschooling fez por sua família? (2)

Depoimento da minha amiga Catiane De Gasperi Longhi. Eu juro que não pedi a ela que nos elogiasse! Ela escreveu o que quis!

Obrigada pelo carinho, querida!
A primeira vez em que ouvi falar sobre homeschooling, pensei ser uma realidade possível em países como nos EUA e não aqui. Achava uma loucura, pois me perguntava como iria acontecer e como me "realizaria profissionalmente" se optasse por isso? Ou mais, com quem minhas crianças iriam se relacionar? Um borbulhar de questionamentos brotavam em mim, e não sabia a quem recorrer! Por providência, numa partilha com uma amiga, ela indicou um blog em que ela tinha achado coisas muito interessantes sobre educação das crianças: o "Encontrando Alegria".
Era a época em que havia um programa na Rádio Vox uma vez por semana. Nossa! Bebi muito desse programa, tirei dúvidas, mudei meus pensamentos, minha vida e minha família para melhor! Aos poucos as coisas foram acontecendo e hoje sou muito feliz por ter feito a escolha de perman…

Cinco passos para alfabetizar em casa!

Dias atrás, circulou por aí uma matéria que mostrava algo que muitos de nós já sabíamos: os métodos de alfabetização utilizados no Brasil NÃO ALFABETIZAM, daí as eternas péssimas posições do nosso país nos rankings internacionais. No entanto, uma outra coisa que muitos de nós ainda não sabemos é que existe um método de alfabetização que ALFABETIZA DE FATO. E é isto o que o prof. Carlos Nadalim começa a ensinar nessa série de vídeos que hoje teve início. Faça como eu e algumas centenas de brasileiros já fizeram: assista, teste e comprove! CLIQUE AQUI.

Sobre (não sob) o aval do governo

Está marcada para o dia 03 de dezembro a votação do projeto que propõe a regulamentação da educação domiciliar aqui no Brasil.

Entre as muitas comemorações que vi no facebook, parei para pensar a respeito por um instante. O resultado está aqui: Pessoal, nunca se esqueçam: nenhuma regulamentação ou autorização governamental está acima das nossas consciências e do nosso dever para com Deus. Quem pratica o homeschool deve fazê-lo por convicção de que é o melhor para os seus filhos, e não porque o governo diz que pode. Quem deixa de praticá-lo deve fazê-lo por não estar convicto de que é o melhor ou por estar convicto de que não é o melhor, e não porque o governo não deixa. Some-se a isso o fato de termos um governo composto, em sua esmagadora maioria, por bandidos, literalmente. Ou seja, DE FORMA ALGUMA nossas consciências e a responsabilidade sobre a vida dos nossos filhos deve estar submetida ao aval de gente desse tipo.Sem falar no fato de que a própria regulamentação pode vir…

O que o homeschooling fez por sua família?

Dias atrás, inspirada por uma página norte-americana, o Simple Homeschool, decidi reunir testemunhos e dar espaço para que diversas famílias contassem um pouco sobre como o homeschooling mudou suas vidas, sobre como as coisas melhoraram a partir do momento em que tomaram as rédeas da educação de suas crianças.

O propósito dessa iniciativa? Fortalecer quem já pratica e encorajar quem ainda não pratica, mas deseja praticar o ensino em casa!

Assim, aqui vai o primeiro depoimento, de autoria da minha amiga Géssica Hellmann, da página no facebook "Valorizando o conhecimento com educação domiciliar".
Logo no início de 2013, estávamos angustiados com a escola que nosso filho mais velho frequentava, tanto pela péssima qualidade de ensino quanto pela distorção dos valores morais em atitudes “politicamente corretas”.
Enquanto tentávamos encontrar uma solução para esse problema, chegou a nossas mãos um artigo muito inspirador da Camila Abadie sobre a prática do Hom…

Queremos as aranhas. Precisamos dos sapos.

Ouço meu marido falar sobre o desejo de ir embora para o interior desde que o conheci. A propósito, este é um desejo que ele manifesta até nas roupas que veste (sempre que possível): bombachas e alpargatas. No entanto, eu, nascida e criada no interior, cultivo, desde que me conheço por gente, um certo "bovarismo", afinal, "sofrer em Paris é muito melhor".

Entretanto, quando os filhos chegam à nossa vida e, especialmente, aos nossos corações, muita coisa costuma mudar, e esta foi mais uma delas. De uns tempos para cá, conforme o "bovarismo" arrefecia e a desilusão com "Paris" e suas tantas "opções culturais" aumentava, meu desejo de retorno às origens tornou-se crescente. Expressão disso (talvez alguns de vocês o tenham visto), foram algumas de nossas mais recentes aquisições literárias: Como fazer quase tudo e Guia prático da auto-suficiência.


Recentemente, porém, mais uma gota caiu sobre o cálice da capital dos gaúchos: minha filha, dia…

Curitiba é demais!

Neste último final de semana estivemos em Curitiba. Embora eu já tivesse passado pela cidade algumas vezes, de ônibus, jamais havia ficado por lá. A impressão que tive confirmou o que eu percebia de modo tão breve em minhas andanças através da capital do Paraná: a cidade é linda, linda, linda! Não que eu conheça muita coisa, pois não conheço mesmo, mas a beleza, a ordem e a tranquilidade de Curitiba lembram apenas vagamente algumas poucas cidades do interior do Rio Grande do Sul, especialmente aquelas que foram colonizadas por imigrantes italianos ou alemães.
No domingo à tarde, como não poderia deixar de ser, fizemos um belo passeio por um dos muitos parques da cidade. Além de limpo, bem cuidado e livre de satanistas, maconheiros e pelados (tipos cada vez mais comuns nos parques aqui de Porto Alegre), o parque que visitamos (o Parque do Bosque Alemão) tem uma incrível trilha que pretende imitar o caminho percorrido por João e Maria (sim, os personagens do conto clássico!): ao longo do…

Entre para a nossa lista!

Queridos, sei que ando um tanto sumida, mas não é por falta de assunto nem de vontade.
A verdade é que a primeira turma do curso "Ensine seus filhos a gostar de ler" está na reta final e, além disso, já estou com um novo curso no forno. Ambas as coisas, mais todas as demais atividades da vida de mãe homeschooler têm tomado os meus dias (para nem mencionar as emoções e desafios pós-eleições).
Pensando nisso tudo, resolvi fazer algo que já devia ter feito meses atrás: uma lista de e-mails decente, com a finalidade de agilizar nossa comunicação.
Sei que muitos de vocês recebem o feed dos posts diretamente no próprio e-mail, no entanto, tais atualizações ficam restritas aos conteúdos das postagens. Ou seja, se eu quiser avisá-los especificamente sobre um artigo recém publicado, sobre uma tradução fresquinha, sobre um novo curso ou sobre um conteúdo exclusivo para os cadastrados, não terei como fazê-lo a menos que escreva um post no blog.
Mas não se preocupe: não pretendo encher a cai…

Gaudeamus igitur!

As duas últimas aulas de latim foram bem especiais.

Na semana passada, o prof. Clístenes deu algumas lições de teatro às crianças. Como o livro por eles utilizado, o Familia Romana, possui vários diálogos, é muito fácil dramatizá-los e converter a aula em um pequeno palco. Infelizmente, porém, eu estava sem o tablet na ocasião, de modo que não pude fazer nenhum registro.
Ontem, no entanto, eu fui preparada. Mas em lugar de teatro, a "novidade" foi o canto - e acrescento as aspas porque não foi a primeira vez que o prof. Clístenes cantou com as crianças, mas, que eu me recorde, foi a primeira vez que elas se engajaram para valer.
Confiram.

Dêem-me um desconto. Filmar e segurar um bebê inquieto no colo não é fácil. :)

Claro que pode melhorar muito, afinal, ontem foi uma primeira tentativa, um primeiro ensaio. Mas o mais legal disso tudo é ver que, mais do que o aprendizado do latim - que por si só é muito bom -, as crianças estão tendo contato com um professor que compreende e ins…

Comece por você

Queridos leitores, Para aqueles de vocês que talvez não saibam, passo aqui para avisá-los sobre uma parceria muito legal que eu, o Prof. Carlos e o Arno acabamos de fechar: terei o prazer de contribuir, mensalmente, com um texto exclusivo para o blog "Como educar seus filhos"!
Bacana, né? Estou bem feliz por mais uma vez ter a chance de participar desse time que respeito e admiro demais. :)
Assim, se você quiser ler minha primeira publicação, intitulada "Comece por você", clique aqui. Você será redirecionado diretamente para o meu texto.
Um abraço e até breve! Já estou com um post novo no forno (ou melhor, na panela! ;) ).

Vencendo o cronograma

Na última sexta-feira, dia 10 de outubro, concluímos mais um trecho importante da nossa caminhada homeschooler: terminamos o livro de português recomendado para a terceira série!
Para quem não sabe, trata-se de um livro pertencente a uma coleção da FTD que nos foi recomendado (e presenteado) pelo prof. Carlos Nadalim. Aqui você pode ler mais a respeito, embora a imagem presente no post linkado seja do livro destinado à série anterior, isto é, à segunda série.
Foi a primeira vez que segui um livro didático do início ao fim com a Chloe e, é claro, além de um grande auxílio, o livro me possibilitou algumas experiências interessantes.
A primeira delas foi perceber que, embora o livro seja bom, isso não é garantia de que a minha filha conseguirá entender as explicações e os exercícios conforme eles estão ali expressos. Ou seja, mais uma vez ficou bastante claro o fato de que há muitos modos, muitos jeitos de explicar a mesma coisa.
A segunda coisa que percebi foi que, ainda que o conteúdo sej…

Sobre (e sob) o cansaço

Ontem à noite, uma gentil senhora perguntou-me, ao ouvir-me falar sobre a educação dos meus filhos, "mas você não fica muito cansada?". Não é a primeira vez que escuto tal pergunta e, por conta disso, achei que um post falando a respeito cairia bem por aqui.

Sim, cansa. E às vezes, é verdade, eu fico muito, mas muito cansada. Como já disse em algum outro lugar, eu não tenho empregada. Também não tenho babá. Não tenho máquina de lavar louça nem freezer. E dou de mamar a madrugada toda, sempre que meu filho deseja. Ou seja, as coisas que envolvem a casa e as crianças são todas comigo. Do aprendizado dos números ao dobrar das cobertas, da leitura de Shakespeare à limpeza do vaso sanitário, do feijão à fralda suja, quem cuida de tudo sou eu. Mas ao contrário de me ressentir por tudo isso, sentindo pena de mim mesma, eu acho tudo muito bom. Descobri que, graças ao bom Deus, dou conta do recado (apesar de não ter pensado sempre assim). E também não tenho nada contra o ter uma empre…

Algumas imagens do Encontro Regional sobre HS

História - Alexandre, o Grande

Em dias como hoje, em que as crianças estão doentinhas, a única matéria realizada em maiores desgastes é a de história, pois exige apenas atenção e um certo esforço rememorativo a respeito da aula anterior. 

Assim, prosseguimos nos estudos rumo ao capítulo XXV do The story of the world - Ancient times: Alexandre, o Grande. Susan Wise Bauer, autora dessa série de livros de história, sempre acerta o tom ao aproximar os eventos históricos da realidade das crianças. Ao explicar a conquista da Grécia por Alexandre, por exemplo, Susan compara Esparta e Atenas a dois irmãos ocupados demais em brigar um contra o outro e, por conta disso, incapazes de perceber a aproximação de um valentão. Foi assim que Felipe, pai de Alexandre, realizou facilmente a proeza que os persas, apesar das diversas e longas batalhas, não haviam conseguido: ele dominou um povo enfraquecido após anos de guerras e disputas internas. 
A partir daí, ouvir sobre Bucéfalo, sobre as incomparáveis conquistas, sobre o Farol de …

Alegria, gratidão e saudade

Queridos, como muitos devem estar aguardando novidades a respeito de ontem à tarde, aqui vai um primeiro resumo, um apanhado precoce e bastante pobre, que não dá conta de tudo o que os momentos compartilhados na Vila Manresa significaram.
Até agora não consegui calcular quantas pessoas estiveram conosco. Algumas famílias cancelaram na última hora e outras decidiram participar na última hora. Alguns chegaram mais tarde e outros saíram mais cedo. De todo modo, lotamos as duas salas que havíamos reservado para o evento: a sala das palestras e a sala dos brinquedos. Acredito que isso represente cerca de 50 adultos e 30 crianças.
Apesar da pretensão original, de reunirmos praticantes e interessados em educação domiciliar que vivem em Porto Alegre e na região metropolitana, pessoas de vários outros locais também estiveram presentes: gente da serra gaúcha, do Vale dos Sinos, do Paraná e até de São Paulo!
De certa forma, três palavras resumem os meus sentimentos sobre o primeiro Encontro Regio…

Os pais homeschoolers

Há muitos dias atrás uma leitora pediu-me que escrevesse a respeito do papel do pai na educação domiciliar. Comecei o texto antes do dia dos pais, mas, para variar, não consegui concluí-lo. Agora, porém, vivendo uma situação inédita, adquiri a compreensão de um aspecto da questão que ainda me faltava. E aproveitando que as crianças estão na cama, resolvi fazer uma forcinha extra e não deixar passar.
Primeiro, e antes de tudo o mais, penso que, nessa difícil caminhada do ensino em casa, ao pai deve caber a retaguarda, a proteção advinda da compreensão, da permissão e do comprometimento total com esse projeto educacional. Um pai confuso, inseguro ou contrariado a este respeito, ao ser inquirido sobre a educação de seus filhos, facilmente vacilará e exporá sua esposa e seus filhos à censura pública. É, portanto, fundamental que, mais do que o empenho da mãe, a educação domiciliar praticada em família seja plenamente aprovada e defendida pelo pai.

Segundo, penso que assim como o pai é impo…

Entrevista sobre o curso "Ensine seus filhos a gostar de ler"

Olá, pessoal!
É com muita alegria que venho avisá-los a respeito da abertura das inscrições para a primeira turma do curso "Ensine seus filhos a gostar de ler".
Aqui neste link você pode conferir agora mesmo a entrevista que concedi ao querido prof. Carlos Nadalim e na qual explico um pouco mais a respeito do curso.
Amanhã pela manhã as inscrições estarão abertas. Assista ao vídeo, cadastre-se e não perca a sua vaga! ;)

"Brasil acima de tudo! Ninguém acima de Deus!"

Hoje pela manhã fui surpreendida. Fui até a feirinha do Bom Fim comprar algumas coisas e pude assistir ao desfile de várias escolas, entre elas do Colégio Militar e do Colégio da Brigada, em homenagem ao 7 de setembro. Eu não sabia que o desfile aconteceria ali e, pra falar a verdade, nem havia me dado conta da data. Minha cabeça está voltada para o dia 13. Até lá terei dificuldades em lembrar de qualquer outra data. Mas, voltando ao desfile, pude ouvir e observar muita coisa interessante.

A primeira delas foi a diferença entre os poucos veteranos presentes e os estudantes em geral. Claro que a idade, por si, já contribui para a distinção, mas era nítida uma certa sobriedade (gravidade, melhor dizendo) na postura dos mais velhos, enquanto a maioria dos estudantes trazia um olhar e uma postura de quem não sabe ao certo o que está fazendo ali; outros, por sua vez, personificavam a irreverência, alheios àquilo que deveria ser rememorado e expressado no desfile. Alguns poucos, porém, pare…

Apego e dependência

Olá, pessoal!

Passo aqui para compartilhar com vocês uma resposta que escrevi a uma mãe que me pedia conselhos sobre voltar ou não ao mercado de trabalho após o nascimento do bebê. Suas dúvidas voltavam-se para as objeções frequentemente ouvidas por todos nós sobre o "criar a criança com muito 'apego'" e acabar criando um "vínculo de dependência". Assim como nós, a mamãe em questão não quer errar, quer tomar a decisão certa, e, em seus sentimentos, não quer ficar longe do bebê.

Deixo, logo abaixo, minha breve resposta:
Veja, você usou duas expressões interessantes para comunicar a sua dúvida: "apego" e "dependência". Embora se pareçam, tais coisas não são sinônimos. Apegar-se é algo que faz parte da vida de todos os bebês. Não só dos humanos, mas de todos os bebês do mundo animal, até onde me lembro. Os bebês (e crianças) precisam de um porto seguro, precisam de proteção, precisam da certeza de alguém que cuide deles, que se importe, q…